28 de setembro de 2009

Xutos & Pontapés – até que enfim, um estádio

Na grande celebração dos 30 anos da maior banda portuguesa, o Estádio do Restelo encheu, sábado, para assistir a um dos mais importantes concertos do quinteto.

Mais de quarenta mil pessoas, dispersas pelas bancadas e pela relva, renderam-se ao espectáculo de cerca de três horas, por onde desfilaram muitos dos êxitos e temas emblemáticos de uma carreira cheia de música e de público. Hora e meia depois do previsto para o início do espectáculo, a entrada foi triunfal, com os músicos a avançarem por entre o público, numa plataforma suspensa. “Quem é quem”, single do novo álbum, foi o pontapé de saída para uma noite memorável. Logo de seguida, num claro começo ‘ao ataque’ da ‘equipa da casa’, “Não sou Jesus” e “Não sou o único” levaram ao rubro os milhares de fãs presentes no estádio.

Foi uma verdadeira viagem no tempo, com passagem pelas várias épocas que, ao longo destes 30 anos, marcaram a obra dos Xutos. O ‘homem do leme” foi Tim, o story teller de serviço que não deixou de contar algumas das histórias que acompanharam o nascimento dos temas trazidos ao palco. Zé Pedro também fez questão de, por várias vezes, agradecer ao público a força para atravessar três décadas de estrada. O guitarrista não se esqueceu de quem, pela primeira vez, assistiu a um concerto da banda.

Para ajudar à festa, foram convidadas quatro grandes figuras na música nacional. Camané, Packman (Da Weasel), Pedro Gonçalves (Dead Combo) e Manuel Paulo (Ala dos Namorados) acrescentaram ainda mais qualidade à noite do Restelo.

Apesar de tudo, foi curioso notar que, a despeito da enchente, o entusiasmo do público não foi claro e inequívoco, talvez fruto dos poucos momentos electrizantes durante o espectáculo, talvez pelo peso da idade, ou mesmo por um ganho de tranquilidade a ela inerente. Ouviram-se mais baladas do que temas daqueles que põem milhares aos saltos.

Contas feitas, foi uma digna e merecida festa de aniversário para os Xutos & Pontapés. Quem não esteve presente, recomenda-se que aguarde pela edição do DVD que irá perpetuar este que foi um momento ímpar nas vidas de Tim, Kalú, Zé Pedro, João Cabeleira e Guy.

Ruben Portinha, 2009/09/28, 01:07