3 de janeiro de 2010

Portugal rima com preconceito musical

Vi, na Gala deste Domingo do programa televisivo "Ídolos" (é preciso ver para poder criticar), uma das concorrentes a escolher o tema "Cão muito mau", dos nortenhos Boitezuleika. Vale a pena contextualizar, referindo que a gala foi inteiramente dedicada à música portuguesa.
Essa mesma concorrente foi fortemente criticada por dois dos elementos do júri, não por ter interpretado mal o tema, mas, pasme-se, por ter escolhido uma canção desconhecida por parte do público português. A concorrente contestou - e muito bem - tão desajustado argumento, com o facto de ser uma emissão da música portuguesa e não de alguma música portuguesa.
Gostos musicais à parte, aqui ficou demonstrado, mais uma vez, o fechadíssimo circuito de oportunidades para que, no seu próprio país, bandas e artistas que não Rui Veloso, Xutos e Pontapés, Zeca Afonso e outros nomes de inegável qualidade, se possam revelar às pessoas, pobres seres em estado de ignorância (com honrosas excepções) que não conhecem metade do que de bom e positivo se faz na música nacional. E porquê? Porque há um conjunto (demasiado grande) de pessoas com palas nos olhos e que, por infeliz coincidência, gerem as vias de comunicação e divulgação deste cantinho que, pela sua riqueza, merece mais respeito.
Não obstante, é também necessário que cada um assuma a tarefa de alargar horizontes, a todos os níveis, inclusive ao nível cultural, para que tais argumentos deixem de fazer sentido.
O PIB continua no ar, para trazer aos ouvidos de alguns as novas, as menos novas e as eternas sonoridades da música portuguesa - sem palas nos olhos.

Ruben Portinha, 2010-01-03, 23:04h