22 de fevereiro de 2010

SOULS OF FIRE, com o segundo álbum «Subentender», em cotação em alta

Nasceram em 2000. Em 2006 editaram o seu primeiro álbum e ei-los, agora, Souls of Fire, com o seu segundo disco de originais intitulado «SUBentender».

Esta banda originária do Porto canta maioritariamente em português e apresenta uma sonoridade que parte dos ritmos afro-jamaicanos que estão na formação do reggae, ragga e ska.

A preocupação dos Souls of Fire no seu primeiro álbum, «Comunicar», era mesmo esse, o de comunicar, passar a mensagem, o manifesto, o alerta que esta sociedade não estaria a funcionar muito bem. Mas, tão importante como a mensagem, é realmente perceber a mensagem. E por esse motivo, «SUBentender» é o título que a banda deu ao seu segundo álbum, pois, subentender é perceber melhor. Perceber melhor aquilo que nos é transmitido pela televisão, pelos media e, sermos suficientemente lúcidos do real para não nos transformarem a cabeça e nos enganarem com sensacionalismos. E é precisamente isso que Souls of Fire tentam passar nas suas músicas, reflectindo a luta pela criação de uma maior consciência, batendo-se de frente contra a opressão e a desigualdade imposta pelo actual sistema mundial.

«Subentender», num total de 13 temas, para ouvir músicas que comunicam e que intervêm.





Priscila Andrade, 2010-02-22, 13:50h

15 de fevereiro de 2010

Em destaque, o primeiro LP dos Indignu, «Fetus in Fetu», no PIB


«Fetus in Fetu» é o primeiro longa-duração de estreia dos Indignu lançado este ano, depois de em 2007 se terem estreado com o EP «Manifesto Anormal do Fundamento». O álbum contém onze temas distintos, descomprometidos, cada um com a sua história, dos quais cinco são instrumentais.


Desta vez, a banda barcelense constituída por Afonso (guitarra, voz e melódica), Jimmy (guitarra, voz, xilofone, órgão vintage e kazoo), Mateus (baixo e piano) e Ketas (bateria) contou com a participação de Paulo Miranda na produção, o escritor valter hugo mãe, o design de Pedro Oliveira e a voz de Nuno Rancho no tema ‘Duzentas Promessas para um Mundo Melhor’.


O Produto Interno Bruto, nesta semana, promete satisfazer qualquer barriga que tenha fome de música nacional, com temas como ‘Rafaela’, ‘Prenúncio’, ‘Choro de saudade’ e ‘Curta-Metragem’, que certamente abrirão o apetite para o novo disco dos Indignu, «Fetus in Fetu».





Priscila Andrade, 2010-02-15, 02:00h


1 de fevereiro de 2010

No PIB, em alta, os Mundo Secreto com o segundo álbum ‘Soa o alarme’


Os Mundo Secreto estão de regresso com o segundo álbum ‘Soa o Alarme’ lançado em Novembro de 2009. Este é sem dúvida um disco mais cuidado e maduro, reflectindo o crescimento da banda de hip hop de Leça da Palmeira. Desta vez, procuraram novas sonoridades, novos instrumentos virtuais; as letras e os flows também estão diferentes, mais arrojados, sem nunca perder toda a sinceridade e energia que tiveram no seu primeiro disco.

Neste novo trabalho, os Mundo Secreto puderam contar com algumas colaborações externas: desde logo Tomás Marques, no baixo, que esteve com a banda em todo o álbum. Domingos Alves nas teclas, convidado especial numa música e Carl Minnemann, contrabaixista. Na produção, Quico Serrano, que contribuiu com alguns teclados e loops.

Com óbvias referências ao samba, funk, reggae e até rock, a música dos Mundo Secreto resulta num puro hip hop com conteúdo.

O primeiro single chama-se ‘Soa o Alarme’ e, antes do refrão, a canção diz: “Mundo Secreto voltou!”. Parece que sim!



Priscila Andrade, 2010-01-02, 18:00h